domingo, 25 de outubro de 2009

Almas

Tem sido difícil escrever alguma coisa, porque é-me difícil expressar por palavras todos os sentimentos e emoções que me têm assolado ultimamente. Por vezes, ao ler um poema ou ouvir uma música penso: "parece mesmo que ele entrou dentro do meu coração e conseguiu pôr por palavras aquilo que eu estou a sentir agora!".
Então, e como voltei a não consegui escrever nada de jeito, fica aqui um poema daquele que é um dos maiores escritores do nosso país:
Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: “Fui eu?”
Deus sabe, porque o escreveu.
Fernado Pessoa

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Perfeito Vazio

Encontrei este vídeo no meu PC no outro dia.

Nesta fase "chata" da minha vida, identifico-me imenso com a mensagem desta música.

video

A música é dos Xutos e Pontapés.

O vídeo é da autoria do meu amiguito André.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Em jeito de oração..

"Devemos ter o desejo de ser cada vez mais humildes, isto é, verdadeiros. Perceber que há uma grande distância e uma grande caminhada a fazer, é uma proposta ideal da qual devemos aproximar-nos cada vez mais, pela qual vale a pena lutar. Entender a humildade como sinónimo da verdade. Santa Teresa de Ávila disse que a humildade era viver em verdade. Esse é o dinamismo da humildade, ser cada vez mais verdadeiro consigo próprio, com os outros e com o mundo."
in MAGALHÃES, Vasco Pinto de - Onde Há Crise, Há Esperança.
(Está quase! O CF é já este fim-de-semana.. Estou em pulgas! :P)